domingo, 25 de abril de 2010




De lado


Um coração ali no canto
Pronto para o depois

O depois dos compromissos
Do objeto adquirido e pago

Depois do que há de mais racional
Após as fases críticas

O coração ali,
Quieto num canto qualquer

Ele espera!
Ah, ele espera sim

Não é hora para amar
Se envolver

Deixa isso pra lá
Aguardando tempo confortável

Passe mais tarde,
Sentimento inconveniente, intruso

Ora, essa não é a hora!
Sem envolvimentos afetivos

Anos, dias, horas
O coração virou decoração daquele canto

E ali, bem do lado
O remédio estacionado

Necessidade da idade avançada
Remédio que não tira a dor do peito

O ancião ficou irado
Arrependimento, depressão...

O médico falou em coração
Logo esse?

Poupado, colocado num cantinho
Durante todo o seu caminho



Ana Paula Almeida

2 comentários:

brincator palhaço pequi disse...

parece que este poema nos fala olhando sem palavra pulsndo outras formas de olhar

Honestino Afonso Xavier disse...

boa tarde.. .obrigado por seguir o bloger.. o seu é muito legal...

salmo 27 - O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O SEnhor é a força da minha vida; de quem me recarei?

Nãos temas os homens, pois nosso Senhor é por nós, mesmo quando tudo pareçe sem saída, ele mostra o caminho, as armadilhas que nos armão eles próprios caem nelas.

fica com Deus. .Jesus te Ama!!!